Dança do Ventre

A dança do ventre é uma expressão poética do corpo cheia de gestos e significados. É uma celebração da feminilidade, desenvolvida por mulheres e para mulheres.”
                                                                                                       (Rhamza Alli)

Bailarina Juliana Lorenzoni em ensaio fotográfico em La Alhambra - Espanha/2016

Benefícios que a dança do ventre traz para o corpo e a mente

- Auxilia na autoestima.
- Estimula a memória, concentração e atenção.
- Resgata a feminilidade, sensualidade e suavidade.
- Auxilia no processo de superação de timidez e desinibição.
- Desenvolve musicalidade e ritmo.
- Ativa a circulação, aumenta os reflexos e alivia as tensões.
- Melhora a coordenação motora e equilíbrio.
- Aumenta a flexibilidade e alongamento.
- Auxilia em problemas menstruais e hormonais.
- Trabalha músculos, enrijecendo e tonificando.
- Atua nos centros de energia do corpo, harmonizando os chakras.

Coreografia Espetáculo Luna - Set/15

Mito ou verdade? Dança do ventre dá barriga?

 Quem pensa que a dança do ventre dá barriga se engana.  Isso é um mito. Apesar do nome, dança do ventre, ela trabalha o corpo inteiro. Diversos grupos musculares, articulações, tendões, além dos sistemas nervoso, cardio-circulatório e respiratório. É um excelente exercício para queimar calorias e modelar não só a região do abdômen como o corpo em sua totalidade, de maneira suave e prazerosa. Barriga é resultado de má postura e má alimentação, e não consequência da prática da dança do ventre. Muitos casos de abdômen mais saliente são originados por essa má postura, principalmente na região lombar que provoca uma projeção do abdômen para frente. O abdômen muitas vezes está relaxado e solto, quando o correto seria estar contraído, auxiliando na sustentação da coluna, deixando-a bem alinhada.
Por isso, livre-se do medo e cuide do seu corpo.

Juliana Lorenzoni - Espetáculo Luna - Set/15

DANÇA DO VENTRE: O que é? Qual a Origem?

A forma de dança chamada em árabe de "Raqs Sharqi" (dança do leste) existe provavelmente há milhares de anos.  Há muitas teorias sobre suas origens, uma das quais é, que tem suas raízes na Índia e que de lá foi difundida pelos ciganos que a divulgaram no Ocidente. Outros dizem que ela nasceu no Antigo Egito, e querem traçar no passado sua origem de acordo com antigas danças rituais, nas religiões que cultivavam a grande Deusa. Acredita-se também, que a dança existiu como forma de arte nas cortes tanto sob o Império Romano, quanto mais tarde no Império Otomano (Turquia).  Durante esta época, imagina-se que a dança possa ter se espalhado por todo o mundo árabe.
Quando os ocidentais chegaram ao Cairo (final do séc. IXX) em busca de safáris e tesouros ficaram extasiados com o exotismo da dança e suas dançarinas. Algumas dançarinas foram levadas à Europa e Estados Unidos onde puderam refinar sua dança e sua vestimenta. Em contato com o balé clássico e contemporâneo, incorporaram braços delicados, pés na meia-ponta ou em saltos, véus esvoaçantes e roupas de duas peças cheia de brilhos e franjas. Transformada assim em espetáculo, a dança do ventre pode ganhar os grandes teatros, casas de show e telas do cinema.
Posteriormente o nome "Raqs Sharqi" (dança do leste) foi traduzido pelos franceses como Danse du Ventre e pelos norte-americanos como Belly Dance. Chegou aqui no Brasil com o nome de Dança do Ventre ou Dança Oriental Árabe. Podemos dizer então que a "dança do ventre é o nome ocidental dado à "dança oriental" (raqs sharqi). É uma modalidade artística de dança, cujos movimentos principais se distribuem em ondulações, oscilações, rotações e movimentos circulares centrados no baixo ventre (assoalho pélvico), os quais são executados em equilíbrio em relação ao restante do corpo”.
O significado da dança vai além da expressão artística, podendo ser vista como um meio para adquirir conhecimentos, como opção de lazer, fonte de prazer, desenvolvimento da criatividade e importante forma de comunicação. Através da dança, uma pessoa pode expressar o seu estado de espírito. Pode-se dizer que a dança do ventre une todas as características que formam a “mulher-modelo” da atualidade: independência, feminilidade, sensualidade, força e persistência. Longe de ser uma dança para mulheres de corpo perfeito e vida tranquila, executarem os famosos movimentos com os quadris trabalha a auto-estima, a flexibilidade corporal e acalma a mente agitada dos dias de hoje.


Coreografia Espetáculo Gran Bazar- Out/16


AULAS REGULARES
Informe-se sobre os horários e dias em que acontecem nossas aulas regulares e marque sua aula experimental gratuita!!

AULAS PARTICULARES
Você também pode aproveitar a possibilidade de realizar aulas exclusivas, focando em temas e técnicas especificas. Agende sua aula particular!

 PROFESSORA
Aulas ministradas pela Professora Juliana Lorenzoni



CONVERSATION