Dança Circular

"Mão direita recebe, mão esquerda é doadora. Presente e passado misteriosamente interligados. A corrente circular, uma imagem sensorial da eternidade”
                           (Bernhard Wosien)


O que são danças circulares sagradas?

As danças circulares são expressões artísticas que sempre estiveram presentes na história da humanidade em celebrações comunitárias: nascimentos, casamentos, plantios, colheitas, chegada das chuvas, primavera, morte. Refletiam e refletem a necessidade de comunhão, celebração e união entre as pessoas.
Danças circulares sagradas, danças dos povos ou dança de roda, é uma prática que reúne vários tipos de danças tradicionais folclóricas de diferentes locais e povos. Essas danças fazem parte de um movimento de dança contemporânea, onde o pesquisador Bernhard Wosien (1908-1986), bailarino e coreógrafo alemão, teve o interesse em viajar o mundo para conhecer as diversas manifestações de danças tradicionais.
Por volta de seus sessenta anos de idade, Wosien em visita ao vilarejo de Findhom na Escócia, foi convidado a apresentar uma coletânea das danças que havia aprendido durante a sua empreitada. Foi nesse momento que, ao ensinar a dança, compreendeu que já havia encontrado o que buscava: uma dança capaz de expressar verdadeiramente os seus sentimentos. Essa dança, então, foi denominada de dança circular sagrada.

        Algumas dessas propostas, como a das Danças Circulares, são responsáveis por uma grande democratização e expansão da dança por todo o mundo, agregando em suas práticas pessoas de diversas tradições culturais, de vários povos, de todas as idades, gêneros, etnias e grupos socioeconômicos. A dança, dessa forma, pode ser vivenciada por todos que quiseram participar dela, transformando e/ou reconhecendo como sujeitos da arte e da cultura as pessoas comuns, não apenas artistas ou bailarinos profissionais.
      O círculo é uma forma de circunferência ininterrupta, é um símbolo de totalidade, um lugar igualitário de aprendizagem. Quando um círculo está centrado ele forma uma roda ou mandala invisível, podendo causar a mudança e evolução do indivíduo, recuperando as antigas tradições nas quais os sacerdotes e curandeiros utilizavam danças relacionadas a sons específicos para "tocar a alma" de seus fiéis, para celebrar os ciclos da natureza e os ritos de passagem. 
       A dinâmica das danças circulares sagradas é simples. Ensina-se o passo, treina-se em roda, depois se dança a música e aos poucos as pessoas começam a internalizar os movimentos, liberar a mente, o coração, o corpo e o espírito. As danças podem ser simples e de fácil aprendizado, não tendo necessidade de experiência anterior para participar desses círculos, ou podem ser danças mais sofisticadas, convidando o participante a se desafiar. As músicas escolhidas são de todos os países e as danças podem ser tradicionais, regionais, folclóricas ou contemporâneas. Naturalmente, o simples ato de dançar junto aproxima fronteiras, estimulando os integrantes da roda a respeitar, aceitar e honrar as diversidades.


O principal enfoque na Dança Circular Sagrada não é a técnica e sim o sentimento de união de grupo, o espírito comunitário que se instala a partir do momento em que todos, de mãos dadas, apoiam e auxiliam os companheiros. Assim, ela é indicada para pessoas de qualquer idade, raça ou profissão, auxiliando o indivíduo a tomar consciência de seu corpo físico, acalmar seu emocional, trabalhar sua concentração e memória e, principalmente, entrar em contato com uma linguagem simbólica, que embora acessível a qualquer um, não é utilizada no dia a dia.
            De forma simples, no círculo, de mãos dadas, experimentamos danças de diversos povos com a finalidade de conectar corpo, mente espírito. Dança Circular Sagrada é uma meditação em movimento, onde através dos passos repetidos, que cada dança possui, se entra num estado meditativo.

RODAS / ENCONTROS
Nossas Rodas/Encontros acontecem em parceria das professoras Juliana Lorenzoni e Andréia Vieira Lima, fique atenta a nossa agenda. 

PROFESSORAS

                       Professora Juliana Lorenzoni                              



Professora Andréia Vieira Lima





CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário